quarta-feira, agosto 03, 2005

tempo & mode no blog

Algum atento visitante poderia se perguntar: "não seria um Blog um ambiente para a publicação (ou post, como importado do inglês) de opiniões e comentários pessoais de forma rotineira ou regular ou periódica? O que há com este blog via-gene, cuja regularidade deixa a desejar?"

Respondo: é verdade. Muito do interesse neste tipo de publicação oriunda justamente da sua atualização e seus conteúdos dinâmicos. Blogs irregulares estão fadados à extinção ou seriamente comprometidos. Neste caso, o quadro ainda é um pouco mais dramático, devido à natureza desta iniciativa ser a manutenção e a divulgação de um espaço voltado para assuntos científicos e acadêmicos - segundo a revista
The Scientist, existe uma enorme escassez de iniciativas por parte da comunidade científica e acadêmica em incorporar o formato Blog para divulgação de idéias e estímulo à comunicação.

Por quê? O tempo, ou melhor, a falta dele pode ser um fator importante nesta questão. E, talvez, a falta de apoio que iniciativas como estas experimentam no meio científico-acadêmico possa ser responsável por alguma outra parcela de culpa. Apesar de correr o risco de soar reducionista e pouco original, me arrisco a dizer que as urgências e prioridades da vida científica de muitos pesquisadores têm sido a publicação de artigos científicos - principalmente, o trabalho de "bancada" (atividades experimentais, propriamente ditas), a preparação de realtórios técnicos e projetos de pesquisa e a orientação de alunos, nesta ordem.

Lá no final da lista surge o momento de descontração, o choppinho (mas não necessariamente, pode ser suco-de-laranja) e o bate-papo com o pessoal do lab., num ambiente fértil para "pensar" genética e evolução sem o compromisso de estar sendo avaliado por uma banca de prêmios-Nobels, sem a pressão da crítica dos pares (ou pelo menos com "pares" momentaneamente inseridos no contexto "
bar-da-coxinhas"). Aí está um momento Blog!

Espero manter este Blog mais atualizado, nesta "re-engenharia" os "posts" devem sofrer uma redução, em favor de conteúdos mais constantes e mais dinâmicos.

vamos ver como fica...

4 comentários:

Norma Farias disse...

Oi Ana!

Como estou conhecendo seu "via gene" agora, estou comentando - como percebe- textos "antigos" do seu blog, mas de qualquer forma, eles estão no ar.
Quando os blogs surgiram foram considerados e criticados como "uma espécie de confessionários ", mas diferente dos confessionários antigos nas igrejas, um confessionário moderno, sem privacidade, com as confissões virtuais e sem controle, expostas ao mundo...e a construção dos blogs partiam do grande público,principalmente da garotada.
Penso que a academia é de certa forma conservadora, ela observa o movimento social e depois segue atrás, sempre atrasada a alguns passos da realidade. E pior, depois se apropria dessas novas realidades e tenta explicá-las, cria teses, etc. Daí acho porque surgiram (ou ainda são poucos, você deve saber melhor do que eu), porque existem poucos blogs de " cientistas". Confesso que no meu meio, isso é visto como um pouco de diletantismo,uma certa "vagabundagem científica", e considerado um tempo em que se poderia estar utilizando para escrever mais um artigo científico. Os e.groups são rspeitados porque são seletivos e fechados. Mas penso que não: o blog é um ambiente democrático,de livre pensar, onde várias linguagens se misturam e gera um processo criativo. E sai dos guetos.
Por isso, iniciativas como a sua são arrojadas e louváveis.
De fato, confesso, não teria tempo para gerir um blog, por vários desses motivos que você citou...ou acho mais cômodo ser uma visitante!
Continue que você está se saindo muito bem!

Abraços,
Norma.

via gene disse...

Excelente comentário! Adorei o termo "vagabundagem científica"! Acho que o blog fica no intervalo entre o e-groups de conteúdo privado e a divulgação científica, propriamente dita. Tendendo mais para divulgação científica e, quem sabe, podendo servir inclusive de suporte para o ensino de ciências (estimulando jovens - uma geração conhecida por quebrar tabus - a se envolverem com a ciência). Ambas abordagens, divulgação científica e ensino de ciências, têm ou já tiveram que lidar com essa marginalização pela academia. Veja bem, sou amplamente favorável ao estímulo à produção de conhecimento científico e à divulgação de artigos em revistas indexadas e etc., e não fujo muito do esteriótipo do pesquisador acadêmico (infelizmente...). Mas acho que com um pouco de criatividade e organização nossa contribuição como cientistas pode ser um pouco mais ampla. Enfim, inclui o "viagene" no meu currículo Lattes: talvez seja uma ponte para aproximar esses dois universos... talvez seja uma imprudência... ou simplesmente passe em brancas nuvens...

Norma Farias disse...

É isso aí Ana! estou como você também e não abro.
Aliás, quando blogs contarem pontos no CV Lattes, imagina a corrida...publicações e citações na WEB já estão amplamente incorporadas em memoriais.
Também não fujo ao protótipo e não sou contra a todas as regras da academia, mas ultrapassar fronteiras é interessante, e você colocou uma coisa muito importante: novos conceitos, novas técnicas de divulgação científica ( além das comprovadas), sobretudo para novas gerações.
Mais uma vez abraços!
Norma.

via gene disse...

Norma!

Obrigada novamente pelo seu comentário e pela participação entusiasmada!
Um abraço,
ana